Alga pode ajudar a combater hipertensão

19/05/2008

Estudo americano revela que a alga chlorella pode ajudar na prevenção e no combate à hipertensão

Um estudo realizado pelo Professor Randall Merchant e pela pesquisadora Cynthia A. André, do Virginia Commonwealth University´s Medical College, nos Estados Unidos, revelou que o uso da alga de água doce Chlorella em portadores de hipertensão arterial pode reduzir a pressão sangüínea e normalizar os níveis de gordura no organismo, além de proporcionar melhora na qualidade de vida. Foram avaliados 24 indivíduos de ambos os sexos, com idade a partir dos 21 anos, com hipertensão leve a moderada. Todos tiveram de descontinuar o uso da medicação dada especificamente para a doença, incluindo diuréticos. Mas alguns remédios, como a aspirina usada para prevenir o infarto do miocárdio, por exemplo, foram permitidos.

Antes e depois do início do estudo, os participantes foram submetidos a um rigoroso exame físico. Foram feitos também exames laboratoriais (sorologia, perfil lipídico, hemograma e análise de urina) na triagem, no início e no final da avaliação. Os participantes receberam suplementação alimentar diária com 10 g de Chlorella em tabletes e 100 ml de extrato da alga. Durante um mês, ingeriram apenas placebo; após esse período, começaram efetivamente o tratamento.

Os pesquisadores notaram que, após um mês sem medicação e placebo e após dois meses de dieta com Chlorella, 38% dos indivíduos mostraram melhora na pressão diastólica, 29% mostraram a pressão estável e só um terço deles mostrou piora na hipertensão. Isso mostra que, para dois terços das pessoas estudadas, a suplementação diária com a Chlorella melhorou o quadro da hipertensão ou manteve a doença sob controle. Os exames físicos, como eletrocardiograma, análise de urina e sorologia, não mostraram grandes alterações. Já o colesterol – tanto de alta quanto de baixa intensidade – foi decrescendo durante a realização do estudo. Outra reação observada pelos pesquisadores foi uma melhora no comportamento dos participantes, que demonstraram uma redução nos sintomas de ansiedade e depressão e aumento do bem-estar durante a investigação.

Fonte: Super Bem

Suplemento chlorella traz benefícios na amamentação

01/07/2008

Um estudo recente dos médicos japoneses Shiro Nakano, Hideo Takekoshi e Masuo Nakano, do Hospital Saiseikai Nara, no Japão, revela que a suplementação com a alga chlorella não só reduz os níveis de dioxinas presentes no leite materno, como pode ter efeitos benéficos em lactentes, elevando os níveis de IGA (anticorpos) durante a amamentação. No estudo foram analisados níveis de dioxinas em gestantes e no leite materno, por meio de amostras de sangue de 35 mulheres grávidas no Japão. Também foram acompanhados os níveis de imunoglobulina (IGA) concentrados no leite e investigadas correlações com as concentrações de dioxinas. Além disso, 18 das 35 mulheres tomaram Chlorella pyrenoidosa (chlorella) durante a gravidez, e os efeitos sobre as concentrações de dioxinas e de IGA no leite materno foram investigados. O resultado foi que equivalentes tóxicos foram significativamente menores no leite materno das mulheres tomando comprimidos chlorella. O suplemento é uma alga microscópica de água doce que contém aproximadamente 60% de proteínas, 18 aminoácidos (incluindo todos os essenciais) e mais de 20 tipos de vitaminas e minerais, com destaque para o Beta Caroteno (Vitamina A). É, também, maior fonte de clorofila do planeta, o que a torna um poderoso antioxidante natural.

Chlorella pode ajudar a reduzir toxinas prejudiciais em leite materno (em inglês)

dez/2007

Chlorella May Help Reduce Harmful Toxins in Breast Milk

A landmark study published in the Journal of Medicinal Food suggests that chlorella may indeed help reduce harmful toxins, known as dioxins, in breast milk. The study, conducted by Japanese researchers, investigated 35 healthy pregnant females and found that of the participants who supplemented their diets with chlorella, there was a significant decrease in the amount of dioxin measured in the participants' breast milk. Additionally, the study found that this same group had an increase in a property found in blood, known as immunoglobulins, believed to be responsible for reducing the risk of infection in nursing infants.

Dioxin is the name generally given to a class of super-toxic chemicals. It potentially may be one of the nastiest, most toxic, man-made organic chemicals; its toxicity is second only to radioactive waste. Studies at the School of Medicine, West Virginia University, demonstrated that chlorella has the potential to help remove poisoning of chlorinated hydrocarbons (a major toxic pollutant found in pesticides and herbicides), dioxin, and PCBs. In other studies, chlorella was equally effective in eliminating heavy metals such as mercury, copper, and cadmium.

Immunoglobulins, also known as antibodies, are believed to aid the body's natural defense system in protecting against infection. Similar to high-density lipoproteins (HDLs) found in cholesterol, a greater concentration of these health assisting proteins are desirable.

Though this article represents only a handful of studies, it is clear that the importance of including superfoods, such as a true pulverized chlorella, as part of a balanced diet cannot be underestimated. Readers are encouraged to independently research the many benefits of chlorella.

Campbell J. What is dioxin? Available at: http://www.cqs.com/edioxin.htm. Accessed September 26, 2007.
High-density lipoprotein. Wikipedia. Available at: http://en.wikipedia.org/wiki/High%5Fdensity%5Flipoprotein. Accessed September 27, 2007.

Horikoshi T, Nakajima A, Sakaguchi T. Uptake of uranium by various cell fractions of Chlorella regularis. Radiosotopes. August 1979; 28(8): 485-487.

Immunoglobulins. WebMD. Available at: http://www.webmd.com/a-to-z- guides/Immunoglobulins. Accessed September 26, 2007.

Nakano S, Takekoshi H, Nakano M. Chlorella (Chlorella pyrenoidosa) supplementation decreases dioxin and increases immunoglobulin a concentrations in breast milk. Journal of Medicinal Food. 2007;10: 134-142.

Pore RS. Detoxification of chlordecone poisoned rats with chlorella and chlorella-derived sporopollenin. Drug Chem Toxicol. 1984;7(1):57-71.

Estudo americano revela que a alga chlorella pode ajudar na prevenção e no combate à hipertensão

16/05/2008

Um estudo realizado pelo Professor Randall Merchant e pela pesquisadora Cynthia A. André, do Virginia Commonwealth University´s Medical College, nos Estados Unidos, revelou que o uso da alga de água doce C

hlorella em portadores de hipertensão arterial pode reduzir a pressão sangüínea e normalizar os níveis de gordura no organismo, além de proporcionar melhora na qualidade de vida. Foram avaliados 24 indivíduos de ambos os sexos, com idade a partir dos 21 anos, com hipertensão leve a moderada. Todos tiveram de descontinuar o uso da medicação dada especificamente para a doença, incluindo diuréticos. Mas alguns remédios, como a aspirina usada para prevenir o infarto do miocárdio, por exemplo, foram permitidos.

Antes e depois do início do estudo, os participantes foram submetidos a um rigoroso exame físico. Foram feitos também exames laboratoriais (sorologia, perfil lipídico, hemograma e análise de urina) na triagem, no início e no final da avaliação. Os participantes receberam suplementação alimentar diária com 10 g de Chlorella em tabletes e 100 ml de extrato da alga. Durante um mês, ingeriram apenas placebo; após esse período, começaram efetivamente o tratamento.

Os pesquisadores notaram que, após um mês sem medicação e placebo e após dois meses de dieta com Chlorella, 38% dos indivíduos mostraram melhora na pressão diastólica, 29% mostraram a pressão estável e só um terço deles mostrou piora na hipertensão. Isso mostra que, para dois terços das pessoas estudadas, a suplementação diária com a Chlorella melhorou o quadro da hipertensão ou manteve a doença sob controle. Os exames físicos, como eletrocardiograma, análise de urina e sorologia, não mostraram grandes alterações. Já o colesterol – tanto de alta quanto de baixa intensidade – foi decrescendo durante a realização do estudo. Outra reação observada pelos pesquisadores foi uma melhora no comportamento dos participantes, que demonstraram uma redução nos sintomas de ansiedade e depressão e aumento do bem-estar durante a investigação.

O que é Chlorella? - É uma alga microscópica que contém aproximadamente 60% de proteínas, 18 aminoácidos (incluindo todos os essenciais) e mais de 20 tipos de vitaminas e minerais, com destaque para o Beta Caroteno (Vitamina A). É, também, maior fonte de clorofila do planeta, o que a torna um poderoso antioxidante natural. Seu consumo é aprovado pelas rigorosas normas do FDA (Food & Drug Administration - EUA) e pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa. Há mais de quarenta anos a alga vem sendo alvo de pesquisas em todo o mundo, e seus efeitos sobre outras doenças, como fibromialgia, síndrome metabólica, osteoartrite, anemia e colite ulcerativa já foram comprovados cientificamente.

Chlorella: alga nutritiva faz bem à saúde

8/17/2006

Uma alga microscópica é a mais nova coqueluche entre os suplementos aliados da beleza. Conhecida como chlorella, esta alga de água doce promove beleza e saúde de dentro para fora.

Com ação antioxidante e reguladora das funções metabólicas, a chlorella promove a nutrição celular. Rica em vitaminas, clorofila e complexo B, a alga já foi aprovado pelas normas rigorosas do FDA americana e pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa.

Reguladora de diversas reações metabólicas do organismo, principalmente relacionadas ao processo de envelhecimento, intoxicação do fígado, modelação do sistema imunológico e disfunções neuroendócrinas, a chlorella pode ser ingerida em forma de tabletes ou líquido.

A nutricionista Valéria Paschoal recomenda chlorella para tratamentos de acne e antiidade. “A clorofila e o complexo B presentes na alga proporciona a transformação de substâncias insolúveis em solúveis, permitindo que substâncias tóxicas sejam facilmente excretadas pelo organismo”, explica.

Vale lembrar que uma alimentação balanceada é ideal para que a nutrição ocorra com efetividade. Suplementos alimentares como a chlorella podem ser indicados por nutricionistas e médicos ortomoleculares para potencializar o processo.

Vitamina A – 3g de chlorella = 7 copos (200ml) de leite
Vitamina D – 3g de chlorella = ½ filé de salmão (60g)
Vitamina E – 3g de chlorella = 5 colheres (sopa) de gérmen de trigo
Vitamina B12 - 3g de chlorella = 30 gramas de bife de fígado

Chlorella: alimento completo

Consumida há quase 40 anos no Japão, a Chlorella é uma alga de água doce com alta concentração de vitaminas, minerais, proteínas e aminoácidos essenciais que proporciona equilíbrio e bem-estar ao organismo. Não se trata de um medicamento.

Aprovada pelas normas do FDA (Food & Drug Administration - EUA) e pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa, é conhecida e recomendada como um alimento completo por médicos, homeopatas, ortomoleculares e nutricionistas, entre outros profissionais. Por ser altamente nutritiva, indica-se também para pessoas com carências nutricionais, que seguem dieta vegetariana ou simplesmente sofrem grande desgaste físico e mental no dia-a-dia.

Em termos comparativos, possui proporcionalmente mais proteína que a soja. Contém, ainda, mais de 20 tipos de vitaminas e minerais, com destaque para Betacaroteno (Vitamina A).

Muita clorofila

Maior fonte existente no planeta. Enquanto 100g de alfafa contém apenas 0,3g da substância (ou 0,3%), a Chlorella possui 3g de clorofila pela mesma quantidade de produto, ou seja: 10 vezes mais. Sob certas circunstâncias, a substância pode transformar seu principal componente, o magnésio, em ferro. Isso faz dela um excelente auxiliar na prevenção da anemia em adultos, idosos e crianças.

A clorofila também ajuda a desintoxicar o organismo. Outra qualidade é ser cicatrizante, além de restauradora de tecidos, o que a faz indicada pelos especialistas em casos de acnes, peelings e úlceras de pele.

A Chlorella e as vitaminas

O seu potencial vitamínico pode ser visto nos exemplos abaixo.

Vitamina A 7 copos de leite (200ml) 3g de Chlorella

Vitamina D Filé de salmão (60g) 3g de Chlorella

Vitamina E 5 col. (sopa) de gérmen de trigo 3g de Chlorella

Vitamina K 6 col (sopa) de repolho picado 3g de Chlorella

Vitamina B12 30g de bife de fígado 3g de Chlorella

Vitamina C 2 fatias de melancia 3g de Chlorella

Crédito da matéria: Revista IN